Grande Otelo

Grande Otelo
Tela feita pelo grafiteiro CRÂNIO, em apoio à campanha.

Apoio de várias celebridades

Apoio de várias celebridades
Hebe Camargo num lambeselinho em Grande Otelo, mascote da campanha.

sexta-feira, 3 de maio de 2019

Cães Terapeutas encerram ações pelo Autismo no ABC

Cães das Raças Golden Retriever e Labradores, encantaram crianças e adultos no Golden Square Shopping em São Bernardo, no ABC paulista. Outras raças, também apareceram para solidarizar com a ação em prol do AUTISMO.



 - Encerramos no último dia 28 de abril,  as comemorações do mês de conscientização do autismo, no Golden Square Shopping, que  promoveu um encontro com  muita diversão, no Espaço Pet.  As Raças Golden Retrievers e Labradores em parceria com o Projeto Estimular – Autistas no ABC e Mamãe de um Anjo Azul, receberam as ONGs de cães de assistência INATAA, PATAS THERAPEUTAS,  KUNÉ BRASIL e a Golden Retriever Milly, da Terapeuta Aline Pinheiro.
  
Esse encontro foi uma realização do Golden Square Shopping em parceria com o Projeto Estimular, idealizado por Daniela Melo, mãe do Miguel de 5 anos, e com Kelly Portugal do insta @mamaedeumanjoazul,  mãe do Henrique, de 9 anos, ambos diagnosticados com autismo.

A campanha DIGA NÃO À LEISHMANIOSE, numa ação de conscientização da leishmaniose,  encoleirou os cães terapeutas das ONGs e sorteou vários brindes e coleiras scalibor, a base de 4% de deltametrina para a prevenção da doença.. A idealizadora da campanha Diga Não à Leishmaniose, Marli Pó, esteve presente no evento informando sobre a doença.

Os cães, seus tutores e famílias puderam desfrutar de uma tarde super animada e divertida. 

Confira nas fotos



terça-feira, 23 de abril de 2019

Encontro de Labradores e Goldens Terapeutas pelo Autismo


Para encerrar as comemorações do mês de conscientização do autismo, o Golden Square Shopping promove um encontro que promete muita diversão e aprendizado neste domingo, dia 28 de abril, às 14 horas, no Espaço Pet. Trata-se do Encontro de Raças  Labradores e Golden Retrievers em parceria com o Projeto Estimular – Autistas no ABC e Mamãe de um Anjo Azul.

Considerados cães terapeutas, os labradores e goldens são indicados como boas companhias para crianças e adultos autistas e proporcionam benefícios, como desenvolvimento psicomotor, linguagem, comunicação não-verbal, além de melhorar a autoestima e a competência social.

Alguns cães de serviço para crianças com autismo estarão presentes no evento para conscientizar as pessoas sobre o autismo, assim como a e Natalie Benedetti, terapeuta da entidade Kuné Brasil, que participará com o Golden Lugano.

O encontro é uma realização do Golden Square Shopping em parceria com o Projeto Estimular, idealizado por Daniela Melo, mãe do Miguel de 5 anos, e com Kelly Portugal (@mamaedeumanjoazul), mãe do Henrique, de 9 anos, ambos diagnosticados com autismo.

O evento contará também com ação de conscientização da leishmaniose, segunda doença que mais mata humanos e assola os cães no mundo. A coordenadora da campanha Diga Não à Leishmaniose, Marli Pó, estará presente no evento para  informar sobre a doença.

Serviço
Evento: Encontro de Raças Labrador e Golden Retriever em parceria com @projetoestimular @mamaedeumanjoazul
Data: Domingo, 28 de abril
Horário: Das 14 h às 16h
Local: Espaço Pet - Golden Square Shopping – Avenida Kennedy, 700/São Bernardo do Campo, São Paulo, Piso L2
Link para cadastro antecipado e participação de sorteios:

Entrada gratuita

sexta-feira, 19 de abril de 2019

2 PIC NIC AZUL NO SÁBADO DE ALELUIA EM S.B CAMPO



2º PIC NIC AZUL para a conscientização do AUTISMO no ABCD, acontecerá em São Bernardo do Campo.

Neste ano, a data será dia 20 de abril às 14h, no Parque Chácara Silvestre em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O 2º PIC NIC Azul, busca socializar e realizar a conscientização mundial sobre o AUTISMO.
A iniciativa é do @Projetoestimular, representado por Daniela Melo, mãe de Miguel, 6 anos  e de Kelly Portugal, mãe de Henrique, de 9 anos do insta @mamaedeumanjoazul, ambos autistas.
Várias mães e apoiadores se engajam para que o evento seja um sucesso. 
Este ano além das atrações com os super heróis, brinquedos interativos, teremos aSKATE HOUSE com a equipe de skatistas interagindo com as crianças e monitoramento com psicoterapeuta da ARTE PSICO.

Evento2° Pic Nic Azul
Local : Parque Chácara Silvestre
Endereço : Av. Wallace Simonsen, 1800 São Bernardo do Campo
Horário : 14h às 17h
O que levar na cestaCada família deverá trazer sua toalha ou canga para forrar o chão, sua água potável, sua comida e utensílios para o seu pic nic.
Entrada: Gratuita

terça-feira, 12 de março de 2019

Brumadinho X Leishmaniose

Cães resgatados em Brumadinho passam por acompanhamento

Após triagem, animais recebem tratamentos e cirurgias no Hospital Veterinário

Reencontro da cadela com a família
Reencontro da cadela 31 com a famíliaAssessoria da Escola de Veterinária / UFMG
Sob responsabilidade dos professoras Suzane Beier, Christina Malm e Marcelo Pires Nogueira de Carvalho, a equipe da Escola de Veterinária que tem atuado em Brumadinho para tratar de animais de pequeno porte e silvestres já realizou cerca de 150 resgates.
Como procedimento padrão, as equipes fazem triagem no local e, quando necessário, encaminham os animais para tratamento no Hospital Veterinário da UFMG, em Belo Horizonte. “Para cada um, é preenchida ficha com os parâmetros vitais e exame clínico. Além disso, eles recebem medicação para endo e ectoparasitas e uma coleira repelente, para prevenir leishmaniose”, explica Raiane Araujo de Moura, residente do Hospital.
Raiane atendeu, por exemplo, uma cadela que foi identificada numericamente como 31, resgatada pela Brigada Animal e reencontrada pela família no dia 3 de fevereiro. “Ela foi recolhida nas proximidades de onde ficava o restaurante da Vale, a cerca de 500 metros de distância de sua casa. Como não tinha alteração de parâmetro vital, não precisou de nenhum tratamento específico. Só recebeu banho e escovagem, porque estava muito suja e com nós no pelo”, relata.
EmoçãoSobre o reencontro com a família, a residente conta que a tutora descobriu que a cadela havia sido resgatada e foi até a base veterinária da Brigada Animal, à sua procura. “Quando ela descreveu o animal, abrimos o local e a cadela já saiu correndo para pular em cima dela. Reconheceu a tutora na hora. Foi bem emocionante”.
Os tutores da cadela contaram que o canil onde ela ficava foi soterrado pela lama, e o animal só sobreviveu porque estava solta no instante do rompimento da barragem. “Eles nos agradeceram bastante. Falaram que perderam familiares e amigos, e a única felicidade que tinham no momento era encontrá-la viva”, completa Raiane.
Entre os mais de 100 cães resgatados e atendidos pelas equipes da Escola de Veterinária até o momento foram encaminhados para o Hospital Veterinário os animais Duke, Amarelo, Fumaça, Jack e outros sem reconhecimento de nome.
A cadela 06 foi resgatada com duas fraturas
A cadela 06 foi resgatada com duas fraturasAssessoria da Escola de Veterinária / UFMG
A cadela 06 foi resgatada com duas fraturas, na pelve e no fêmur, sendo a primeira uma lesão antiga, de acordo com a equipe que a examinou. A cadela foi encontrada em um quintal com vários outros cães. Após passar pela triagem em Brumadinho, passou por uma cirurgia ortopédica, no Hospital Veterinário, no dia 5 de fevereiro. Ainda sem família localizada, 06 está em estado pós-operatório no canil do Hospital.
Duke e Amarelo chegaram ao Hospital Veterinário diagnosticados com miíase, doença que se desenvolve a partir de ferimentos na pele, e receberam o tratamento sem necessidade de cirurgia. Por meio de exame de raio-X, foi descoberta no animal identificado como 09 uma fratura antiga, que já não causa dor, e por isso também não passou por cirurgia. 
Magricela (ou 25), também diagnosticada com miíase, perdeu uma orelha devido à doença e atualmente está no Hospital Veterinário aguardando para passar por uma cirurgia de reconstrução do canal auditivo. Fumaça, que foi resgatada com infecção no útero, passou por uma cirurgia de piometra e atualmente está em período pós-operatório, no canil do Hospital. E Jack, encontrado com injúria renal aguda, recebeu transfusão de sangue e agora se encontra na UTI do Hospital.
A Escola de Veterinária está atuando em Brumadinho através da Brigada Animal desde o dia 28 de janeiro (leia mais). As equipes de médicos veterinários, residentes e alunos de pós-graduação estão divididas em quatro frentes: Grandes animais, Animais de pequeno porte e animais silvestres, Saúde pública e Monitoramento dos animais terrestres e aquáticos ao longo do Rio Paraopeba e na Represa de Três Marias.
Com Assessoria de Imprensa da Escola de Veterinária da UFMG

sexta-feira, 8 de março de 2019

Três Lagoas - MS

Saúde de Três Lagoas investiga segunda morte por Dengue em 2019

Oficialmente, só tem um caso confirmado de morte e um segundo, ocorrido em Marília (SP), está sendo investigado 
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio do Setor de Vigilância Epidemiológica da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, informa oficialmente à população que, em 2019, houve um caso de óbito por Dengue. Trata-se de uma mulher de 76 anos, residente no Bairro Interlagos, falecida em 13 de fevereiro.
Um segundo caso, com suspeita de morte por Dengue, está sendo investigado pela equipe da Vigilância Epidemiológica. Trata-se também de uma mulher, de 57 anos de idade, residente no Bairro São Jorge, internada em hospital de Marília (SP), onde veio a falecer em 10 de fevereiro.
A paciente havia se submetido a transplante de rim, há pouco mais de dois anos, também havia contraído Dengue e o óbito somente chegou ao conhecimento da SMS, há pouco mais de uma semana.
Devido aos demais agravantes de saúde que, certamente, causaram a morte da paciente, a equipe de Vigilância Epidemiológica de Três Lagoas está investigando o caso, antes de comunicar oficialmente a ocorrência de óbito por Dengue.
MONITORAMENTO SEMANAL
A equipe de Vigilância Epidemiológica, coordenada pela enfermeira Adriana Spazzapan, divulgou o Monitoramento Semanal de Dengue e da Leishmaniose, no final da tarde desta quarta-feira (06).
Segundo consta no referido Boletim, em Três Lagoas, o acumulado de 2019 de casos suspeitos é de 2.179. Desse total acumulado, 512 já foram confirmados como casos positivos e 221 casos obtiveram resultado negativo.
Na 9ª semana epidemiológica, houve notificação de 264 casos notificados suspeitos de Dengue. Na semana anterior, o número de casos notificados suspeitos era de 271.
Em janeiro, eram 1.250 casos notificados suspeitos; em fevereiro, houve 850 casos e em março, Três Lagoas já possui registro de 79 casos notificados suspeitos da doença.
Quanto à Leishmaniose, não houve alteração. No acumulado de 2019, houve registro de 24 casos notificados suspeitos, mas todos eles foram descartados como negativos.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2019

Leishmaniose, mais que conscientizar é PREVENIR!!

A campanha Diga Não à Leishmaniose, desde 2005, vem realizando ações para a conscientização e a prevenção dessa grave doença, que é a segunda que mais mata humanos no mundo depois da malária. Com isso, os laboratórios estão cada vez mais se desenvolvendo com produtos que defendam seus animais de estimação, ajudando assim o meio ambiente. Infelizmente é um problema de saúde pública e para os humanos não há nenhum método de prevenção, apenas tratamento, que é muito doloroso e complicado, essa doença não tem cura. Precisamos informar ao máximo de pessoas sobre essa terrível doença. Hoje falaremos da vacina e do repelente que juntos ajudam a combater a doença nos cães @diganaoaleishmaniose são as nossas redes sociais e www.diganaoaleishmaniose.blogspot.com nosso blog o site www.diganaoaleishmaniose.com.br

A partir desta semana, falaremos de todos os produtos que são auxiliares na prevenção dessa grave doença que assola cães e humanos.

Se você tiver uma história seja com humanos ou cães e queira contar seu testemunho com fotos, nos envie, com o maior carinho nós publicaremos para que vc tenha eternizado o amor pelo seu fiel amigo. Trocaremos os nomes caso vc não queira ser identificado, mas com certeza, você ajudará muitas vidas.

Marli Pó
Pets e animais de cia
Envie suas sugestões para




Leishmaniose Visceral Canina: Como proteger os cães?

A vacinação dos cães e o uso de produtos repelentes é a melhor estratégia para proteger os cães.



Com alto poder endêmico, a leishmaniose está presente em todo o território nacional. Dados indicam que anualmente mais de três mil pessoas são infectadas pela zoonose, além de um número incontável de cães. Estima-se que cada caso humano equivale a cerca de 200 cães infectados.

A patologia tem como vetor a Lutzomyia longipalpis, popularmente conhecida como mosquito palha. No ciclo urbano da patologia, o vetor infectado pica os cães e os utiliza como reservatórios, o que aumenta o risco de transmissão para os humanos.

Para combater os avanços da enfermidade, a prevenção é imprescindível. “A melhor forma de prevenção da leishmaniose visceral canina é proteger os cães com o uso de vacina e repelente”, afirma a Médica-veterinária e Gerente de Produtos da Unidade de Pets da Ceva Saúde Animal, Priscila Brabec.
Esse, é o principal desafio imposto para o controle da zoonose, pois a contaminação ocorre de forma silenciosa. 

Em muitos casos, os cães demoram para manifestar os sintomas da doença. Entre os sinais apresentados estão problemas dermatológicos, como alopecia, úlceras, descamações, feridas com difícil cicatrização e hiperqueratose, especialmente, no focinho, ao redor dos olhos e nas orelhas. O crescimento anormal das unhas (onicogrifose) também é comum.
“Além dos sinais clínicos visíveis, a enfermidade não tem cura e traz uma série de complicações para o cão, e dependendo da evolução do quadro clínico, o animal pode ir a óbito”, explica Priscila.

Por apresentar sinais clínicos inespecíficos, similares ao de outras patologias, a confirmação do diagnóstico de leishmaniose envolve a realização de testes sorológicos e parasitológicos.

Para ajudar na prevenção da Leishmaniose Visceral Canina, a Ceva Saúde Animal desenvolveu o conceito Double Defense, que visa a proteger os cães contra o vetor transmissor e o patógeno causador da doença através da vacinação associada ao uso de produtos repelentes. 

Para isso, a empresa une a ação de dois produtos exclusivos, a Leish-Tec, única vacina recombinante do mercado contra a leishmaniose visceral canina, e o Vectra 3D, uma formulação sinérgica inovadora (Dinotefuran, Permetrina e Piriproxifen), que repele o flebótomo transmissor da leishmaniose, além de proteger contra pulgas e carrapatos.
“O uso combinado dos produtos protege os cães contra a leishmaniose atuando por fora e por dentro, evitando a picada do vetor (Vectra 3D) e agindo contra o agente (Leish-Tec). Por isso, o conceito Double Defense é uma ferramenta estratégia para a prevenção dos cães”, finaliza Priscila.



O Vectra 3D auxilia no combate às pulgas e carrapatos e é eficiente com mosquitos e moscas. 

Sua aplicação é fácil,e a durabilidade é de até 45 dias.

A única vacina para a prevenção da leishmaniose que foi aprovada pelo MAPA para uso em cães no Brasil.



Sobre a Ceva Saúde Animal

A Ceva Saúde Animal é atualmente a 6ª maior empresa de saúde animal do mundo, presente em mais de 110 países tem sua atuação focada na pesquisa, desenvolvimento, produção e comercialização de produtos farmacêuticos e biológicos para animais de companhia, e produção (bovinos, suínos, equídeos e aves). Mais informações disponíveis no site: www.ceva.com.br



Leishmaniose em humanos descoberta em canil

Por G1 Sorocaba e Jundiaí
 

Polícia encontra canil com cerca de mil cães em situação de maus-tratos em Piedade — Foto: Divulgação/PMPolícia encontra canil com cerca de mil cães em situação de maus-tratos em Piedade — Foto: Divulgação/PM
Polícia encontra canil com cerca de mil cães em situação de maus-tratos em Piedade — Foto: Divulgação/PM
O relatório da Vigilância Sanitária de Piedade (SP) sobre a vistoria realizada no canil Céu Azul, interditado com mais de 1,7 mil cães por suspeita de maus-tratos, apontou que a proprietária do local não avisou a zoonoses sobre três casos suspeitos de leishmaniose em humanos.
A reportagem da TV TEM teve acesso ao relatório da vistoria, que foi realizada no canil de Piedade com a Polícia Militar Ambiental, após denúncia no local. O documento consta que três funcionários que trabalham no canil tiveram suspeita da doença.
O resultado do exame feito em um dos homens ficou pronto nesta segunda-feira e descartou leishmaniose. Os outros dois casos estão sendo aguardados.
Canil fechado por suspeita de maus-tratos não notificou zoonoses sobre leishmaniose em funcionários, aponta relatório — Foto: TV TEM/ReproduçãoCanil fechado por suspeita de maus-tratos não notificou zoonoses sobre leishmaniose em funcionários, aponta relatório — Foto: TV TEM/Reprodução
Canil fechado por suspeita de maus-tratos não notificou zoonoses sobre leishmaniose em funcionários, aponta relatório — Foto: TV TEM/Reprodução
"Do controle de zoonoses: por não notificar três casos suspeitos de leishmaniose humana em três funcionários que trabalham no canil, contrariando os artigos 35º e 36º do decreto mº 40.400. de 24 de outubro de 1995, colocando em risco seus animais e seus funcionários", diz relatório.
Durante a vistoria, a Vigilância Sanitária de Piedade ainda constatou que o canil não apresentava separação dos animais por idade, as baias não eram compatíveis com o tamanho dos cães e que os animais doentes ficavam no mesmo local que os saudáveis.
--:--/--:--
TEM Notícias tem acesso a relatório que denunciou o canil interditado em Piedade
O relatório ainda frisou o encontro de medicamentos vencidos, a falta da presença de um médico veterinário responsável e o número de funcionários trabalhando no canil não era compatível com a quantidade de cães que eram criados no local.
Por fim, a Vigilância Sanitária de Piedade ainda confirma que o canil não era registrado pelo órgão e não cumpria todas as exigências impostas por normais legais municipais, estaduais e federais.
Canil de Piedade com mais de 1,7 mil cães é fechado após denúncia de maus-tratos — Foto: TV TEM/ReproduçãoCanil de Piedade com mais de 1,7 mil cães é fechado após denúncia de maus-tratos — Foto: TV TEM/Reprodução
Canil de Piedade com mais de 1,7 mil cães é fechado após denúncia de maus-tratos — Foto: TV TEM/Reprodução

Entenda o caso

O canil Céu Azul funcionava em um sítio na zona rural de Piedade, no bairro Goiabas. A Polícia Militar Ambiental recebeu uma denúncia anônima sobre a situação irregular do estabelecimento e, na quarta-feira, enviou uma equipe até o local para fazer a averiguação.
A Polícia Militar Ambiental confirmou a denúncia e entrou com o pedido de fechamento do canil. Foi constatado que o local funcionava clandestinamente, com instalações inadequadas, falta de higiene e organização.
O canil ainda não atendia ao código sanitário vigente e às demais legislações estaduais e municipais. Mais de 1,7 mil cães, de diversas raças, foram encontrados no local e eram mantidos para reprodução e comercialização.
Diante da situação, a Prefeitura de Piedade, por meio da Vigilância Sanitária, lavrou auto de infração e de interdição do canil devido às irregularidades constatadas pela Polícia Militar Ambiental. Segundo a prefeitura, o local não tem alvará de funcionamento e não paga impostos.

Resgate

Na quinta-feira (14), alguns animais começaram a ser levados à ONG da protetora Luisa Mell. Segundo a ativista, a ação só foi possível depois que ela negociou a doação com a dona do canil, que teria assinado um termo abrindo mão de todos os animais.
ONG da ativista Luisa Mell foi resgatar mais de 1,5 mil de canil em Piedade — Foto: Instagram/ReproduçãoONG da ativista Luisa Mell foi resgatar mais de 1,5 mil de canil em Piedade — Foto: Instagram/Reprodução
ONG da ativista Luisa Mell foi resgatar mais de 1,5 mil de canil em Piedade — Foto: Instagram/Reprodução
Luisa disse que a quantidade de animais resgatados é tão grande que ela precisou alugar emergencialmente dois galpões em Mairiporã.
"Esse é o maior resgate de cães da história do mundo. Fizemos uma pesquisa e vimos que a maior era nos EUA, com cerca de mil."
A ativista informou que todos os animais passarão por exames, vacinação e castração e serão colocados para doação no futuro. Em um vídeo feito por ela no canil é possível ver alguns cães com ferimentos, debilitados, feridos e outros cegos. Ela até cita o local como um "campo de concentração animal".
resgate de mais de 1,7 mil cães do canil terminou na tarde deste domingo (17). A Justiça também negou o pedido de mandado de segurança da dona do canil Céu Azul. Para tentar evitar a mobilização, a proprietária do canil em Piedade entrou na Justiça para tentar suspender a transferência dos cães.
O pedido de mandado de segurança foi negado pela juíza Luciana Mahuad. De acordo com a decisão, não houve ato ilícito pelo Instituto Luisa Mell, responsável pelo resgate dos cães, já que a ação de interdição do local foi tomada por funcionários da prefeitura e da Polícia Ambiental.
Segundo o instituto, a dona do canil assinou um termo de doação dos cães para que fosse possível a retirada dos animais do canil de Piedade. A juíza ressaltou o contrato em sua decisão, e disse que "a retirada dos animais está amparada em contrato de doação celebrado pela própria impetrante".
--:--/--:--
Vídeo de protetora de animais mostra cães debilitados em canil interditado em Piedade

Dano ambiental

A Polícia Militar Ambiental também encontrou um local de incineração de animais no canil. Em entrevista à TV TEM, o tenente da Polícia Ambiental, André Manoel, afirmou que o canil Céu Azul não tinha autorização para realizar a cremação de animais.
Canil fechado pela Polícia Ambiental com mais de 1,5 mil animais tinha local para incineração de cães — Foto: Luisa Mell/Arquivo PessoalCanil fechado pela Polícia Ambiental com mais de 1,5 mil animais tinha local para incineração de cães — Foto: Luisa Mell/Arquivo Pessoal
Canil fechado pela Polícia Ambiental com mais de 1,5 mil animais tinha local para incineração de cães — Foto: Luisa Mell/Arquivo Pessoal
Ainda segundo o policial, outros danos ambientais foram constatados no canil. "Foi verificado que existe o despejo irregular de esgoto não tratado, que passa ao fundo da propriedade. Não foi apresentada autorização para captação de águas, onde haveria necessidade de uma outorga."
Ainda segundo a Polícia Ambiental, a dona do canil pode ser multada em R$ 3 mil por cada cachorro que apresentar sinais de maus-tratos. O Procon anunciou que também vai multar a proprietária.
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí