Grande Otelo

Grande Otelo
Tela feita pelo grafiteiro CRÂNIO, em apoio à campanha.

Apoio de várias celebridades

Apoio de várias celebridades
Hebe Camargo num lambeselinho em Grande Otelo, mascote da campanha.

sábado, 20 de agosto de 2011

Laboratório lança primeira pomada para leishmaniose cutânea

por Secom em 19/08/2011 19:48hs
Farmacêuticos pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em Ribeirão Preto, desenvolveram uma pomada para tratar as lacerações causadas pela leishmaniose cutânea, após receber R$ 1,4 milhão em subvenção da Finep. O medicamento inovador, feito com fruto da biodiversidade brasileira, é uma alternativa ao tratamento atual, que apresenta mais efeitos colaterais.
Todos os anos, mais de dois milhões de pessoas de 88 países contraem leishmaniose. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a epidemia parasitária está entre as seis maiores da atualidade. A forma cutânea representa mais de 75% dos casos e provoca graves feridas e deformidades na pele e nas cartilagens. São 350 milhões de pessoas expostas ao mosquito transmissor, das quais 12 milhões são brasileiros.
A leishmaniose é uma das “doenças negligenciadas” pela indústria farmacêutica internacional, que atingem as populações pobres da África, Ásia e América Latina. Para combater essa tendência, a Finep destinou R$ 450 milhões em 2008 para projetos de medicamentos contra essas doenças “esquecidas”.
A leishmaniose cutânea é menos grave do que a visceral, mas o tratamento tradicional de ambas pode levar o paciente à morte.

Um comentário:

  1. Sofro de leishmaniose a 8 anos e preciso saber como ou onde encontro essa pomada?

    ResponderExcluir